anúncios

sábado, 24 de outubro de 2020

Instalando Browser Edge for Linux

A Microsoft disponibiliza o browser Edge para Linux e os disponibiliza por meio de repositórios de pacotes APT e YUM, que corresponde as distros Debian e RHEL/CentOS, com suas derivações das distros mencionadas.

O objetivo deste post é de descrever os procedimentos de instalação do browser Edge por meio do repositório oficial para instalar com gerenciador de pacotes APT ou YUM.

RHEL, CentOS, Fedora

Enterprise Linux 6 (EL6)

$ sudo rpm -Uvh https://packages.microsoft.com/config/rhel/6/packages-microsoft-prod.rpm

Enterprise Linux 7 (EL7)

$ sudo rpm -Uvh https://packages.microsoft.com/config/rhel/7/packages-microsoft-prod.rpm

Enterprise Linux 8 (EL8)

$ sudo rpm -Uvh https://packages.microsoft.com/config/rhel/8/packages-microsoft-prod.rpm

Ubuntu

Ubuntu 16.04 (Xenial)

$ curl -sSL https://packages.microsoft.com/keys/microsoft.asc | sudo apt-key add -
$ sudo apt-add-repository https://packages.microsoft.com/ubuntu/16.04/prod
$ sudo apt-get update

Ubuntu 18.04 (Bionic)

$ curl -sSL https://packages.microsoft.com/keys/microsoft.asc | sudo apt-key add -
$ sudo apt-add-repository https://packages.microsoft.com/ubuntu/18.04/prod
$ sudo apt-get update

Ubuntu 20.04 (Focal)
$ curl -sSL https://packages.microsoft.com/keys/microsoft.asc | sudo apt-key add -
$ sudo apt-add-repository https://packages.microsoft.com/ubuntu/20.04/prod
$ sudo apt-get update

Referências

Linux Software Repository for Microsoft Products

Feito!

sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Resolvendo o CentOS (minimal) sem rede após instalado

Após instalar o CentOS (minimal), fica sem rede e internet por default.

O objetivo deste post é explicar os procedimentos para tornar o CentOS (minimal) acessível na rede e com internet no boot do sistema.

Use o TAB após digitar ifcfg- para autocompletar a interface de rede, pois isso varia, no meu caso foi enp3s0.

# vim /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-enp3s0

Altere o "ONBOOT=no" para "ONBOOT=yes".

Salve e feche o editor vim com ESC + :x.

Reinicie o servidor ee agora a rede irá funcionar.

# reboot

Feito!

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Restaurando um HD de uma imagem

No post Criando uma imagem de um HD com Clonezilla foi explicado os procedimentos de criar uma imagem do HD com Clonezilla.

O objetivo deste post é descrever os procedimentos de restauração do HD de uma imagem, que foi feito na postagem anterior. Então, o pré-requisito está aqui

Uma vez tendo o pendrive bootável do Clonezilla.

Execute o pendrive bootável do Clonezilla.

A tela inicial do Clonezilla fornece opções de resolução de tela e uma variade de modos de execução. Selecione a opção "Clonezilla live (Default settings, VGA 800X600).

Na tela seguinte, seleciona o idioma de sua preferência e, em "Configuring console-data", escolha a opção "Don't touch keymap". Isso evita que o mapeamento do teclado seja apagado.

No próximo menu, selecione "start Clonezilla" e tecle enter.

Escolha a primeira opção "device-image work with disks or partitions using images" e confirme a seleção, depois marque a opção "local_dev use local device" ou outra opção dependendo do seu caso e valide as escolhas.

Selecione o HD que foi salvo a imagem.

Selecione o diretório para a imagem. No caso, "/ Diretório_raiz_no_dispositivo_local"

No próximo menu, selecione o "Beginner Mode". Selecione a opção "restoredisk" e confirme.

Irá localizar a imagem que foi salva no HD. Confirme com OK.

Selecionar o HD que irá restaurar a imagem.

Na fase que surgir diversas perguntas para respondermos "sim (y)" ou "não (n)", normalmente colocamos "y" em todas.

Após responder as perguntas, aguarde alguns minutos para fazer a restauração da imagem salva no HD, seja realizada. O tempo depende do tamanho do disco rígido.

Após concluir a restauração da imagem no HD, desligue o computador, retire o pendrive bootável do Clonezilla, ligue o computador e voi-la, restaurado o HD por meio de uma imagem.

Feito!

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Criando uma imagem de um disco rígido com Clonezilla

No post Clonando o disco rígido com o Clonezilla, foi explicado os procedimentos para realizar o clone de um HD origem para o HD destino de um computador.

O objetivo deste post é descrever os procedimentos para criar uma imagem a partir de um disco rígido de um computador com o Sistema Operacional (Windows ou Linux) instalado, usando o Clonezilla.

Precisa plugar um HD externo formatado ou pode mapear um diretório da rede para salvar a imagem gerada a partir do HD no computador.

Com o pendrive bootável do Clonezilla já pronto.

Execute o pendrive bootável do Clonezilla.

A tela inicial do Clonezilla fornece opções de resolução de tela e uma variade de modos de execução. Selecione a opção "Clonezilla live (Default settings, VGA 800X600).

Na tela seguinte, seleciona o idioma de sua preferência e, em "Configuring console-data", escolha a opção "Don't touch keymap". Isso evita que o mapeamento do teclado seja apagado.

No próximo menu, selecione "start Clonezilla" e tecle enter.

Escolha a primeira opção "device-image work with disks or partitions using images" e confirme a seleção, depois marque a opção "local_dev use local device" e valide as escolhas.

Na fase que surgir diversas perguntas para respondermos "sim (y)" ou "não (n)", normalmente colocamos "y" em todas.

Selecione o HD externo ou diretório mapeado da rede que será salvo a imagem clonada.

Selecione o diretório para a imagem. No caso, "/ Diretório_raiz_no_dispositivo_local"

No próximo menu, selecione o "Beginner Mode". Irá aparecer o menu com as opções "savedisk", "saveparts" e "exit", selecione "savedisk" e confirme.

Dê um nome para a imagem. Por padrão vem com a data do dia, mas pode colocar o nome que preferir.

Selecione o disco rígido de origem que será convertido em imagem.

Selecione "Skip cheking/repairing source file system".

Selecione a opção para verificar a imagem depois de salva para ter a certeza que funciona.

Na fase que surgir diversas perguntas para respondermos "sim (y)" ou "não (n)", normalmente colocamos "y" em todas.

Após responder as perguntas, aguarde alguns minutos para que a clonagem do HD em imagem seja realizada. O tempo depende do tamanho do disco rígido.

Após concluir a clonagem do disco rígido em imagem, pode ser utilizado a restauração dessa imagem gerada sem precisar instalar o sistema operacional, softwares e etc novamente.

Feito!

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Clonando o disco rígido com o Clonezilla

O que é Clonezilla?

Clonezilla é um distro Linux derivada do Debian, com foco de clonagem de discos rígidos e partições. Está disponível nas versões Live e o Server, especialmente projetado para servidores.

As funcionalidades são semelhantes aos populares Norton Ghost e True Image, duas soluções amplamente utilizadas no Windows, com o objetivo de fazer a cópia da partição ou o HD completo, que pode ser usado para restaurar o sistema após um desastre que implique perda de dados.

Preparação do pendrive bootável para o Clonezilla

Para usar o Clonezilla, basta fazer o download Clonezilla Live. Recomendo utilizar a versão stable com base Debian. Após o download do Clonezilla Live, fazer a gravação da imagem ISO no pendrive pelo Rufus se estiver no Windows 10 ou Etcher se estiver no Linux (qualquer distro). Ambos fazem a gravação da ISO tornando o pendrive bootável.

O pendrive deve ser formato em FAT16, FAT32 ou NTFS.

Clonar o Sistema Operacional já instalado em uma máquina

Execute o pendrive bootável que preparou na seção anterior.

A tela inicial do Clonezilla fornece opções de resolução de tela e uma variade de modos de execução. Selecione a opção "Clonezilla live (Default settings, VGA 800X600).

Na tela seguinte, seleciona o idioma de sua preferência e, em "Configuring console-data", escolha a opção "Don't touch keymap". Isso evita que o mapeamento do teclado seja apagado.

No próximo menu, selecione "start Clonezilla" e tecle enter. A diferença nas opções: device-image e device-device. No device-image converte do HD em imagem e o device-device clona o HD para outro HD.

Escolha a opção "device-device work with disks or partitions using images" e confirme a seleção, depois marque a opção "local_dev use local device" e valide as escolhas.

No próximo menu, selecione o "Beginner Mode". Irá aparecer o menu "Select Mode", selecione "disk_local_disk local disk to local disk clone" e confirme.

Selecione o disco de origem que será clonado e confirme.

Selecione o disco de destino, o clone, e confirme.

Selecione "Skip cheking/repairing source file system", caso os discos rígidos origem e destino estejam OK.

Na fase que surgir diversas perguntas para respondermos "sim (y)" ou "não (n)", normalmente colocamos "y" em todas.

Após responder as perguntas, aguarde alguns minutos para que a clonagem seja realizada. O tempo depende do tamanho do disco rígido.

Após concluir a clonagem do disco rígido, pode ser utilizado a restauração desse clone do HD em outra máquina, sem precisar instalar o sistema operacional, softwares e etc novamente.

Feito!

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Instalando e Configurando o Novo SGA no Debian

O que é Novo SGA?

É um Sistema de Gerenciamento de Atendimento adaptável para grandes e pequenas organizações, desenvolvido em PHP com framework Symfony, criado em Dezembro de 2012 por Rogério Alencar Lino Filho.

O Novo SGA dispõe de funcionalidades para controlar a ordem da fila de atendimento e os tempos para atender, além de fornecer gráficos e estatísticas para aprimorar o atendimento ao cliente.

O objetivo deste post é descrever os procedimentos de instalação e configuração do Novo SGA no Debian.

Pré-requisitos:

Ter Apache, PHP, SGBD MySQL, o composer e o Git instalado.

módulos PHP essenciais: php-xml, php-curl, php-mbstring, php-zip

$ sudo apt install php-xml php-curl php-mbstring php-zip

Instalação e configuração do SGA


$ git clone https://github.com/novosga/novosga.git novosga2
$ sudo cp -r novosga2 /var/www/html
$ sudo rm -rf novosga2

Criar o banco de dados

$ sudo mysql -u root
mysql> CREATE DATABASE novosgadb;

Criar o usuário para o SGA

mysql> CREATE USER 'novosga'@'127.0.0.1' IDENTIFIED BY 'secret';

Aplicar o GRANT nas permissões

mysql> GRANT ALL PRIVILEGES ON novosga.* TO 'novosga'@'127.0.0.1' IDENTIFIED BY 'secret';
mysql> FLUSH PRIVILEGES;

Configuração de dependências do projeto


$ cd /var/www/html/novosga2
$ sudo composer install
$ sudo bin/console novosga:install
$ sudo bin/console cache:clear --no-debug --no-warmup --env=prod
$ sudo bin/console cache:warmup --env=prod

Adicionar as configurações do banco de dados no .env

LANGUAGE=pt_BR \
DATABASE_URL="mysql://novosga:secret@127.0.0.1:3306/novosgadb"


Definir permissão do grupo Apache

$ sudo chown www-data:www-data -R /var/www/html/novosga

Configuração do Vhost


$ vim vim /etc/apache2/sites-available/novosga.conf
< VirtualHost *:80 >
ServerName novosga.dominio.com.br
DocumentRoot "/var/www/html/novosga/public"
ErrorLog ${APACHE_LOG_DIR}/novosga.error.log
CustomLog ${APACHE_LOG_DIR}/novosga.access.log combined
< Directory "/var/www/html/novosga/public" >
Options Indexes FollowSymLinks
AllowOverride All
Require all granted
< /Directory >
< /VirtualHost >

Habilitar o Vhost


$ sudo a2ensite novosga.conf
$ sudo systemctl reload apache2

Caso esteja em um ambiente local e tiver um servidor DNS, adicione novosga.dominio.com.br, caso contrário pode adicionar no arquivo /etc/hosts.

$ sudo vim /etc/hosts
  novosga.dominio.com.br IP
  

Caso esteja na VPS Linux (Debian), adicione a entrada novosga.dominio.com.br, obviamente substituir pelo seu domínio registrado na hospedagem ou registro.br.

No browser, acesse http://novosga.dominio.com.br

Feito!

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Instalando e Configurando o Nginx e PHP 8 beta4 no Ubuntu

O objetivo deste post é descrever os procedimentos de instalação e configuração do Nginx e PHP 8 beta4 que foi lançado em 17 de Setembro de 2020.

Ressaltando que por ser versão beta, não é recomendado utilizar em ambiente de produção, apenas em ambiente local, ok?

Instalação do servidor web Nginx

$ sudo apt install nginx

Instalação das dependências necessárias

$ sudo apt install -y wget gcc pkg-config libxml2-dev sqlite3 libsqlite3-dev zlib1g libz-dev

Download do PHP 8.0 beta4

$ wget -c https://downloads.php.net/~pollita/php-8.0.0beta4.tar.xz -o-

Extração do PHP 8.0 beta4 que foi feito o download

$ tar -Jxxvf php-8.0.0beta4.tar.xz && mv php-8.0.0beta4.tar.xz php-8

Acessar o diretório extraído

$ cd php-8

Habilitaro FPM e PDO MySQL no PHP

$ ./configure --enable-fpm --with-pdo-mysql

Compilação e instalação

$ make && sudo make install

Renomear o arquivo php.ini-development para php.ini

$ sudo cp php.ini-development /usr/local/php/php.ini

$ sudo vim /usr/local/php/php.ini

/cgi.fix

retira o ; na linha correspondente cgi.fix_pathinfo e deixe conforme abaixo

cgi.fix_pathinfo=0

ESC +:x (salvar e sair do editor vim)

$ sudo /usr/local/etc/php-fpm.d/www.conf.default /usr/local/etc/php-fmp.d/www.conf
$ sudo cp sapi/fpm/php-fpm /usr/local/bin
$ sudo cp sapi/fpm/php-fpm.conf /usr/local/etc/php-fpm.conf
$ sudo vim /usr/local/etc/php-fmp.d/www.conf

Alterar o usuário e grupo nas linhas correspondentes a user e group para www-data que é o usuário e grupo do servidor na distro Debian e derivados.
ESC +:x

$ sudo vim /usr/local/etc/php-fpm.conf

Adicionar no final do arquivo

include=/usr/local/etc/php-fpm.d/*.conf

Reload das configurações feitas

$ sudo /usr/local/bin/php-fpm
$ sudo vim /etc/nginx/sites-available/default

Adicionar index.php antes de index.html em index

Ajustar também as configurações feitas anteriormente no PHP FPM

location ~\.php$ {
include fastcgi_params;
fastcgi_index index.php;
fastcgi_param SCRIPT_FILENAME $document_root$fastcgi_script_name;
fastcgi_param SCRIPT_NAME $fastcgi_script_name;
fastcgi_pass 127.0.0.1:9000;
}

ESC + :x (salvar e sair do editor vim)

$ sudo service nginx restart

Como o ambiente PHP 8 beta4 está em ambiente local e para ter permissão de escrita no DocumentRoot default do servidor web Nginx, então pode atribuir permissão ao seu usuário regular no /var/www/html

$ sudo chown -R $USER:USER /var/www/html $ sudo vim /var/www/html/info.php
< ?php 
  phpinfo();

Salva o arquivo e acessa no browser http://localhost/info.php

Feito!