anúncios

terça-feira, 19 de maio de 2020

Conhecendo o Deno

Surgimento do Deno

No final de 2018, Ryan Dahl, criador do Node.js, estava no desenvolvimento do novo runtime JavaScript: O Deno. Apesar do trocadilho com o nome (no-de x de-no) e ter como integrante do time desenvolvimento o criador do Node.js, o Deno vem sendo desenvolvendo como uma implementação completamente nova e não como um fork do Node.

O que é Deno?
"Deno is a new runtime for executing JavaScript and TypeScript outside of the web browser."

A proposta do Deno é prover uma ferramenta standalone que permita a criação de uma solução rápida para funcionalidades complexas. Sua abordagem é, e sempre será, de ser um único arquivo executável.

Vantagens do Deno são:

  • Seguro por padrão. Nenhum acesso a arquivos, redes ou ambientes, a menos que seja explicitamente ativado.
  • Suporta TypeScript pronto para uso.
  • Envia apenas um único arquivo executável.
  • Possui utilitários embutidos, como um inspetor de dependências (deno info) e um formatador de código (deno fmt).
  • Possui um conjunto de módulos padrão revisados (auditados) que garantem o funcionamento com o Deno: https://deno.land/std
Instalação do Deno

Linux (qualquer distro)

Com o curl instalado, execute:

$ curl -fsSL https://deno.land/x/install/install.sh | sh

Windows (usando o Chocolatey )
choco install deno
$ export DENO_INSTALL="$HOME/.deno"
$ export PATH="$DENO_INSTALL/bin:$PATH"


macOS
brew install deno

helloworld.ts

import { serve } from 'https://deno.land/std@0.50.0/http/server.ts';
const s = serve({ port : 8000 });
console.log("Running ...");
for await (const req of s) {
req.respond({ body: "Hello World" });
}

Executar

deno run --allow-net helloworld.ts

Abra o browser e acesse http://localhost:8000 que verá o "Hello World" na página.

Referência

https://deno.land/

https://deno.land/v1

https://www.infoq.com/br/news/2019/04/deno-v8-typescript/

https://www.infoq.com/br/news/2020/05/sucessor-node-js-conheca-deno/

Feito!

terça-feira, 12 de maio de 2020

Conhecendo o Bagisto

O que é Bagisto?
Bagisto é uma plataforma de E-commerce, de código aberto, com licença MIT, implementado em PHP, Framework Laravel, Vue.js e com SGBD MySQL/MariaDB.

Recursos do Bagisto
  • Suporte RTL
  • Suporta vários canais, localidades e moedas
  • Camada de controle de acesso embutido
  • Loja responsiva
  • Painel de administração e painel
  • Atributos de produtos personalizados
  • Suporte para vários temas da loja
  • Inventário de várias lojas
  • Sistema de gerenciamento de pedidos
  • Carrinho de cliente, lista de desejos e análises de produtos
Pré requisitos do Bagisto

PHP, MySQL, Composer e Git

Procedimentos de instalação e configuração do Bagisto

Clone do repositório
git clone https://github.com/bagisto/bagisto.git

Acesse o diretório do repositório clonado

cd bagisto

Instala as dependências com o composer

composer install

Crie o banco de dados com nome ecommerce no SGBD MySQL

Nota: Pode utilizar o cliente SGBD que preferir, por exemplo: MySQL Workbench, DBeaver ou whatever.
Nesse howto é explicado no terminal do Linux (qualquer distro).

# mysql -u root -p
Enter password: < digite a senha de root que foi definida na instalação do MySQL > mysql> create database ecommerce character set utf8;

Criar o usuário ecommerce para o banco ecommerce

mysql> GRANT ALL PRIVILEGES ON *.* TO ecommerce@localhost IDENTIFIED BY 'secret' WITH GRANT OPTION;
Query OK, 0 rows affected (0.00 sec)
mysql> quit

Renomeia o arquivo .env.example para .env

$ mv .env.example .env
Adicione as configurações do banco de dados, como host, nome da base, usuário e password

Gerar a chave da aplicação

php artisan key:generate

Criar as tabelas no banco de dados automatizado com migrations do Laravel

php artisan migrate

Popular os dados na tabela

php artisan db:seed

Configuração base inicial, como imagens, entre outros

php artisan vendor:publish
digite 0

Criar o link simbólico da aplicação

php artisan storage:link

Iniciar o servidor embutido do PHP

php artisan serve

No browser acessar http://localhost:8000/bagisto/public

As credencias defaults do Bagisto são:

email:admin@example.com
password:admin123
Feito!

sábado, 9 de maio de 2020

Instalando o Composer no Windows e Linux

O que é Composer?
Composer é um gerenciador de dependências do PHP que facilita instalar bibliotecas e frameworks de terceiros ou mesmo suas que deseja ou precisa utilizar em seu projeto. Assim o composer encarraga-se de buscar, fazer o download e criar um autoloader deixando-as prontas para uso.

Instalação do Composer

Windows

Faça o download e execute o Composer-Setup.exe . Esse instalador do Composer já adiciona no PATH do sistema. Fecha o CMD ou PowerShell se tiver aberto e abre novamente, digita composer -V

Linux (qualquer distro)

Pré requisitos:

$ curl -s https://getcomposer.org/installer | php

$ sudo mv composer.phar /usr/local/bin/composer

Feito!

Instalando o MySQL no Windows 10

O MySQL é um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD) relacional de plataforma aberta e de código aberto desenvolvido pela empresa Sueca "MySQL AB" e posteriormente adquirido pela Oracle Corporation. O MySQL é oferecido em duas versões: MySQL community e enterprise. Nesse artigo, será instalado o MySQL Community.

O objetivo deste artigo é descrever a instalação do SGBD MySQL 8 oficial e do jeito certo no Windows 10.

Pré requisitos do SGBD MySQL

Microsoft .NET 4.5 ou superior

Visual C++

Download e instalação do SGBD MySQL

No setup escolha o tipo de instalação, você tem quatro opções de instalação.

  • Developer default: Se você deseja criar uma máquina de desenvolvimento, pode usar esta opção. Ele instala os componentes necessários para o desenvolvimento de aplicativos, por exemplo, MySQL Server, MySQL Shell, conectores MySQL, MySQL.
  • Server: Se você deseja criar um servidor de banco de dados independente com componentes específicos, pode usar esta opção.
  • Full: Se você deseja instalar o MySQL Server com todos os seus componentes, poderá usar esta opção.
  • Custom: se seus requisitos estiverem limitados a poucos componentes, você poderá usar esta opção.

No setup, marque Developer Default ou Full se estiver instalando na máquina de desenvolvimento, conforme na Figura 1



Figura 1 Tipo de instalação

Revisão da lista que será instalado, se marcou o Developer default ou Full, é exibido conforme na Fig. 2



Figura 2. Revisão da lista incluída na instalação


Lista do que foi instalado, conforme na Figura 3.


Na tela de configuração do produto, você pode ver a lista dos produtos que precisam ser configurados. Primeiro, vamos configurar o servidor MySQL. Clique em Next.

Figura 3 Lista do que foi instalado

Na Figura 4 de alta disponibilidade, podemos optar por instalar o cluster InnoDB ou o servidor MySQL independente. O cluster InnoDB é a solução de alta disponibilidade do MySQL, que utiliza replicação de grupo. Neste artigo, foi instalado instalação standalone do MySQL Server.




Figura 4 Alta disponibilidade

Na Figura 5, configuração do tipo de configuração do MySQL. O tipo de configuração do MySQL é um conjunto predefinido de parâmetro de configuração que determina quantos recursos devem ser alocados aos Serviços MySQL.

  • Development Computer: Esta configuração utiliza uma quantidade mínima de recursos para o MySQL Service.
  • Server Computer: Esta configuração utiliza uma quantidade mínima de recursos. Essa opção é adequada quando estamos instalando servidores de banco de dados e servidores da web na mesma máquina. A configuração aloca uma quantidade média de recursos para o MySQL Service.
  • Dedidecated Computer: Esta opção é usada quando criamos um servidor MySQL dedicado. A configuração aloca uma grande quantidade de recursos para o MySQL Service


Figura 5 Tipo de configuração do MySQL


Nesta etapa, podemos controlar como os clientes podem se conectar aos bancos de dados MySQL. Podemos usar o protocolo TCP/IP ou pipe nomeado ou memória compartilhada. Se você deseja configurar pipe ou memória compartilhada, devemos fornecer o nome do pipe e o nome da memória. Você também pode especificar a porta padrão para se conectar ao servidor de banco de dados. Você também pode optar por permitir o número da porta especificado na caixa de texto Porta no firewall. Veja a Figura 6.



Figura 6 Forma de conexão do MySQL


Na versão MySQL 8.0, podemos usar senhas fortes baseadas em SHA256. Na tela Método de autenticação, escolha a opção para usar o método de autenticação herdado ou a senha forte para autenticação. Nota: Se você estiver usando a Criptografia de senha forte para autenticação, verifique se todos os conectores devem estar atualizados para a versão mais recente. Vamos usar a criptografia de senha forte para autenticação. Veja na Figura 7.



Figura 7 Autenticação do MySQL


Nesta etapa, Contas e funções, você pode especificar a senha da conta raiz do MySQL. A conta raiz do MySQL é uma conta sysadmin padrão e deve ser desativada. Assim criar outras contas de usuários para o MySQL, aplicando o Grant. Veja na Figura 8



Figura 8 Contas de usuários e papeis do MySQL


Na etapa, Serviço do Windows, você pode configurar o servidor MySQL para ser executado como um serviço do Windows. Você pode fornecer o nome desejado e configurá-lo para iniciar automaticamente o serviço quando o sistema reiniciar. Além disso, você pode fornecer as credenciais sob as quais o serviço MySQL será executado. Você pode escolher a conta padrão do sistema ou fornecer um usuário específico. Veja na Figura 9.



Figura 9 Serviço do Windows


Nesta etapa, Aplicar configuração, você pode ver a lista de etapas de confirmação. Depois que todas as definições de configuração forem verificadas, clique em Executar. Veja na Figura 10.



Figura 10 Aplicar configuração


O processo de instalação do MySQL é iniciado. Você pode visualizar o processo de instalação na guia "Log". Quando a instalação for concluída com êxito, clique em "Concluir" para fechar o instalador. Veja Figura 11.



Figura 11 Etapa final de instalação do MySQL


Feito!

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Configurando o ambiente PHP no Windows do jeito certo

É comum no Windows usar ferramenta Wampp, Xampp, conhecidos como "amps" que inclui o Apache, PHP, MySQL e phpmyadmin, de início parece ser bom, mas devemos tomar cuidado para que não fiquemos presos nessas ferramentas de modo que não saibamos a trabalhar em outro ambiente. Principalmente para quem é iniciante ou está aprendendo, é importante saber trabalhar de modo desapegado, tanto para ter flexibilidade, quanto para entender como as coisas funcionam.

O desenvolvedor PHP no Windows precisa no mínimo saber usar o PHP instalado do zero, até mesmo porque a partir da versão 5.4, o PHP vem com servidor embutido que nos permite executar uma aplicação rapidamente usando o terminal.
Qual é o objetivo?
Fazer o download do PHP diretamente do site https://php.net e configurar manualmente no Windows e mostrar o uso do servidor embutido para executar scripts, aplicações em PHP.

Procedimentos
  1. Acesse https://php.net/downloads.php e faça o download do PHP para Windows. Recomendo o download da versão mais recente do PHP. Até a data de publicação deste post, a versão atual do PHP é 7.4.5
  2. Escolha a plataforma do PHP em relação ao seu computador, x86 ou x64.
    Detalhe importante é escolher entre as versões Thread Safe (TS) ou Non Thread Safe (NTS). Isso significa questões internas do PHP, mas para desenvolvimento escolha Non Thread Safe (NTS)
  3. Após o download, descompacte o arquivo .zip na partição C:\ e renomeie o diretório para php
  4. Faça a instalação do Microsoft Visual C++ , o PHP precisa para ser executado na máquina.
  5. Adicionar no PATH do Windows 10 o diretório C:\php que foi descompactado no item 1
    1. Clique no botão direito no "Computador" / "Computer" e escolha "Propriedades" / "Properties";
    2. Escolha "Configurações Avançadas de Sistema" / "Advanced System Settings";
    3. Clique em "Variáveis de Ambiente" / "Environment variables";
    4. Selecione PATH e clique em editar ou novo
    5. Adicione valor da variável de ambiente PATH, colocar o diretório C:\php. Fecha todas as janelas restantes, clicando em OK;
    6. Reabra o CMD ou Powershell e digite php --version
  6. No diretório C:\php tem dois arquivos de configurações: php.ini-development e php.ini-production. Renomei o arquivo php.ini-development para php.ini. É nesse arquivo que apresenta as configurações para executar o PHP e habilitar extensões necessárias durante o desenvolvimento da aplicação.
  7. Abra o Bloco de Notas com botão direito do mouse e clique em Executar como Administrador. C:\Windows\System32\drivers\etc, selecione Todos os arquivos para exibir o arquivo hosts. Verifique se existe a linha 127.0.0.1 localhost, se existir está pronto, senão acresente-a ao final do arquivo, salve e feche o Bloco de Notas.
  8. Escolha o diretório onde irá manter os projetos PHP. Nesse exemplo, foi escolhido o diretório C:\Users\Reginaldo\projeto
  9. Criei o arquivo info.php no diretório escolhido

    < ?php
    phpinfo();


  10. Execute no diretório escolhido no item anterior
  11. php -S localhost:8000

  12. No browser acesse http://localhost:8000

Agora só instalar o SGBD MySQL ou PostgreSQL e o cliente DBeaver que suporta diversos SGBDs (MySQL, PostgreSQL, Oracle, MSSQL).

Referências

https://www.php.net/manual/pt_BR/features.commandline.webserver.php

Feito!

quarta-feira, 6 de maio de 2020

Conhecendo o Joplin como alternativa ao Evernote

O que é Joplin?

O Joplin é um aplicativo gratuito, de código aberto, de anotações e tarefas a fazer, que pode lidar com um grande número de notas organizadas em cadernos. As notas são pesquisáveis, podem ser copiadas, marcadas e modificadas diretamente dos aplicativos ou do seu próprio editor de texto. As notas estão no formato Markdown.

As notas exportadas do Evernote via arquivos .enex podem ser importadas para o Joplin, incluindo o conteúdo formatado (que é convertido em Markdown), recursos (imagens, anexos etc.) e metadados completos (geolocalização, hora atualizada, hora criada, etc.) . Arquivos Markdown simples também podem ser importados.

As notas podem ser sincronizadas com vários serviços em nuvem, incluindo Nextcloud, Dropbox, OneDrive, WebDAV ou o sistema de arquivos (por exemplo, com um diretório de rede). Ao sincronizar as anotações, blocos de anotações, tags e outros metadados são salvos em arquivos de texto sem formatação que podem ser facilmente inspecionados, copiados e movidos.

O aplicativo está disponível para Windows, Linux, macOS, Android e iOS (o aplicativo do terminal também funciona no FreeBSD). Um Web Clipper, para salvar páginas da Web e capturas de tela do seu navegador, também está disponível para Firefox e Chrome.


Figura 1. Aplicativo Joplin desktop, mobile e terminal


Instalação do Joplin

Linux (qualquer distro)

$ sudo wget -O - https://raw.githubusercontent.com/laurent22/joplin/master/Joplin_install_and_update.sh | bash

macOS

brew install joplin

Windows 10

Joplin Portable

Mobile

Android

iOS

Aplicação terminal para sincronização

Linux (qualquer distro)

Pré-requisitos: Requer Node versão 10 ou superior

$ sudo npm install -g joplin

Sincronização

Um dos objetivos de Joplin era evitar estar vinculado a qualquer empresa ou serviço em particular, seja Evernote, Google ou Microsoft. Como tal, a sincronização é projetada sem nenhuma dependência rígida de qualquer serviço específico. A maior parte do processo de sincronização é feita em um nível abstrato e o acesso a serviços externos, como Nextcloud ou Dropbox, é feito por meio de drivers leves. É fácil oferecer suporte a novos serviços, criando drivers simples que fornecem uma interface semelhante ao sistema de arquivos, ou seja, a capacidade de ler, gravar, excluir e listar itens. Também é simples alternar de um serviço para outro ou sincronizar para vários serviços ao mesmo tempo. Cada nota, bloco de anotações, tags e a relação entre os itens são transmitidos como arquivos de texto sem formatação durante a sincronização, o que significa que os dados também podem ser movidos para um aplicativo diferente, podem ser facilmente copiados, inspecionados, etc.

Atualmente, a sincronização é possível com o Nextcloud, Dropbox, OneDrive ou o sistema de arquivos local. Para ativar a sincronização, siga as instruções abaixo. Depois disso, o aplicativo será sincronizado em segundo plano sempre que estiver em execução, ou você pode clicar em "Sincronizar" para iniciar uma sincronização manualmente.

Sincronizando com Nextcloud

O Nextcloud é uma solução de nuvem privada auto-hospedada. Ele pode armazenar documentos, imagens e vídeos, mas também calendários, senhas e inúmeras outras coisas, além de sincronizá-los com o seu laptop ou telefone. Como você pode hospedar seu próprio servidor Nextcloud, você possui os dados em seu dispositivo e a infraestrutura usada para sincronização. Como tal, é uma boa opção para Joplin. A plataforma também é bem suportada e com uma comunidade forte, por isso provavelmente existe por um tempo, já que é de código aberto de qualquer maneira, não é um serviço que possa ser fechado, pode existir em um servidor por um tempo.

No aplicativo de desktop ou móvel, vá para a tela de configuração e selecione Nextcloud como o destino de sincronização. Em seguida, insira o URL do WebDAV (para obtê-lo, clique em Configurações no canto inferior esquerdo da página, no Nextcloud), normalmente é https://seudominio.com/nextcloud/remote.php/webdav/Joplin (certifique-se de crie o diretório "Joplin" no Nextcloud) e defina o nome de usuário e a senha. Se não funcionar, consulte esta explicação para mais detalhes.

No aplicativo de terminal, você precisará definir a variável de configuração sync.target e todas as variáveis ​​de configuração sync.5.path, sync.5.username e sync.5.password como, respectivamente, o URL do Nextcloud WebDAV, seu nome de usuário e seu senha.

Isso pode ser feito no modo de linha de comando usando:

Após digitar no terminal joplin

:config sync.5.path https://seudominio.com/nextcloud/remote.php/webdav/Joplin
:config sync.5.username YOUR_USERNAME
:config sync.5.password YOUR_PASSWORD
:config sync.target 5

Referências

https://joplinapp.org/

Feito!

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Ativar o logon automático no Windows

O objetivo deste artigo é de descrever a configuraração do Windows para automatizar o processo de logon, armazenando a sua senha e outras informações pertinentes no banco de dados do Registro. Com esse recurso, outros usuários podem iniciar seu computador e usar a conta que você estabelecer para fazer logon automaticamente.

Importante O recurso de logon automático é fornecido como uma conveniência. No entanto, ele pode ser um risco de segurança. Se você definir um computador para fazer logon automático, qualquer pessoa que tiver acesso físico ao computador poderá acessar todo o seu conteúdo, incluindo as redes às quais o computador esteja conectado. Além disso, quando o logon automático está ativado, a senha é armazenada no Registro em texto sem formatação. A chave do Registro específica que armazena esse valor pode ser lida remotamente pelo grupo Usuários Autenticados. Essa configuração é recomendada apenas para casos em que o computador está fisicamente seguro e todas as medidas necessárias foram tomadas para garantir que usuários não confiáveis não consigam acessar remotamente o Registro.

  1. Clique em Iniciar e em Executar.
  2. Na caixa Abrir, digite Regedt32.exe e pressione Enter.
  3. Localize a seguinte subchave no Registro:
    HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows NT\CurrentVersion\Winlogon
  4. Clique duas vezes na entrada DefaultUserName, digite seu nome de usuário e clique em OK.
  5. Clique duas vezes na entrada DefaultPassword, digite sua senha e clique em OK.
  6. Observação Se o valor DefaultPassword não existir, ele deverá ser adicionado. Para adicionar o valor, siga estas etapas:
    1. No menu Editar, clique em Novo e aponte para Valor da Cadeia de Caracteres.
    2. Digite DefaultPassword e pressione Enter.
    3. Clique duas vezes em DefaultPassword.
    4. Na caixa de diálogo Editar Cadeia de Caracteres, digite sua senha e clique em OK.
    Observação Se nenhuma cadeia de caracteres DefaultPassword for especificada, o Windows mudará automaticamente os valores da chave AutoAdminLogon de 1 (true) para 0 (false), desabilitando o recurso AutoAdminLogon.
  7. No menu Editar, clique em Novo e aponte para Valor da Cadeia de Caracteres.
  8. Digite AutoAdminLogon e pressione Enter.
  9. Clique duas vezes em AutoAdminLogon.
  10. Na caixa Editar Cadeia de Cracteres, digite 1 e clique em OK.
  11. Saia do Editor do Registro.
  12. Clique em Iniciar, Desligar e digite um motivo na caixa de texto Comentário.
  13. Clique em OK para desligar o computador.
  14. Reinicie o computador. Agora, você pode fazer logon automaticamente.
Observações
  • Para ignorar o processo AutoAdminLogon e fazer logon como um usuário diferente, pressione e segure a tecla Shift depois de fazer logoff ou após a reinicialização do Windows.
  • Essa alteração no Registro não funcionará se o valor do Banner de Logon estiver definido no servidor por um objeto de Política de Grupo (GPO) ou por uma política local. Quando a política é alterada sem afetar o servidor, o recurso de logon automático funciona conforme o esperado.
  • Quando restrições de senha do EAS (Exchange Active Sync) estão ativas, o recurso de logon automático não funciona. Esse é o comportamento padrão. Esse comportamento é causado por uma alteração no Windows 8.1 e não afeta o Windows 8 ou versões anteriores. Para contorná-lo no Windows 8.1 e versões posteriores, remova as políticas do EAS no Painel de Controle.
  • Um logon de console interativo com um usuário diferente no servidor muda a entrada do Registro DefaultUserName como o último indicador de usuário conectado. AutoAdminLogon depende da entrada DefaultUserName para corresponder o usuário e a senha. Portanto, AutoAdminLogon pode falhar. Você pode configurar um script de desligamento para definir a entrada DefaultUserName correta para AutoAdminLogonAs.
Referência
https://support.microsoft.com/pt-br/help/324737/how-to-turn-on-automatic-logon-in-windows

Feito!